Olá.... sejam Bem-Vindos!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

primavera chegando!

Primavera






Cecília Meireles



A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.
Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.
Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.
Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.
Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.
Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.
Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.
Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.
Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera.



Texto extraído do livro "Cecília Meireles - Obra em Prosa - Volume 1", Editora Nova Fronteira - Rio de Janeiro, 1998, pág. 366.

domingo, 22 de agosto de 2010

sábado, 21 de agosto de 2010

Meus alunos apresentando histórias do folclore......Foi muuuuuito legal!

Na verdade, procurei proporcionar aos meus alunos a oportunidade de eles conhecerem as histórias do folclore, sugerindo que eles próprios, fizessem a leitura em grupo, confeccionassem os personagens e apresentassem ao grande grupo.
Percebi o quanto eles curtiram, pois mostravam-se muito interessados em dar continuidade ao trabalho.






Foram trabalhadas as histórias: Saci-pererê, Negrinho do Pastoreio, Iara, Curupira, Lobisomen, Boitatá.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Produções adaptadas pelos alunos...

A PROFESSORA DE HORIZONTOLOGIA

               A mãe de Clara Luz disse a ela que a professora nova estava chegando. Tocou a campainha de sua casa e Clara Luz correu até a porta e abriu. Era a professora de Horizontologia, Clara Luz  deu um abraço na professora.
             Quando a professora foi ensinar Horizontologia a menina disse que antes de tudo queria dizer uma coisa:- Primeiro, eu acho que existe mais de um horizonte, a professora se assustou e disse: - que isso? só esxiste um horizonte.
              -Vamos lá na rua aprender mais sobre horizontologia, disse Clara Luz.
              -Ohizontologia na rua? Não, falou a professora.
              -Claro que sim.
              -Está bem, vamos lá, aceitou a professora.
              -Vamos escorregar no arco-íris, convidou a menina.
              E lá estavam elas, subindo de um lado do arco-íris e escorregando pelo outro e os cabelos da professora se tornaram em longas e grandes transas amarelas.
              Clara luz disse para a professora que estava vendo muitos horizontes, a professora concordou: - é mesmo, mais de dez.
               -Dez? Eu só vejo sete.
                E elas voltaram para casa.


Autores: Diego, Francieli, Duani, Luis Othavio, Lorenzo e Luiz Gustavo.

Turma do 3º ano B
  


O TEATRO DE CLARA LUZ

                 No dia do teatro, Clara Luz disse para sua mãe botar o mais belo vestido que tinha porque ela iria fazer uma surpresa.
                 Na hora do teatro todos os convidados estavam lá, Clara Luz ficou muito feliz!
                 A apresentação começou e foi um sucesso. Os relampinhos arrasaram, sem falar no balé das estrelas.
                 O teatro acabou, mas a felicidade da plateia ainda não. Eles viveram felizes para sempre.

Turma 3º A



CHUVA DE MANGA


                  Era uma vez um menino chamado Tomás. Tomás era louquinho por mangas. Ele adorava tomar suco feito com mangas.
                  Tomás não tinha brinquedos, mas um dia inventou um carrinho, ele ficou tão feliz que chorou de alegria.
                  Quando começou a chover não era água era manga.
                  -Que esztranho! disse Tomás, mas ele ficou feliz e começou a pegar com seu carrinho e se fartou de mangas.

Autores: Maryana, Willian, Hérico, Raian, Carolina e Luan.

Turma: 3º ano B


CHUVA DE MANGAS

                 Era uma vez uma linda mangueira. Ela gostava muito de chuva, mas naquela semana era muito quente e todo mundo resolveu chupar as mangas, depois vendê-las e também fazer suco.
                 Começaram a cair da árvore muitas mangas por estarem maduras demais.
                 Logo começou chover e todos se refrescaram com a água da chuva, inclusive a mangueira que estava precisando muito beber um pouco para se fortalecer e dar mas mangas para aquele povo simples.



Turma: 3º ano A

 A PIABINHA DO RIO DAS VELHAS


                        Era uma vez um rio poluído por pescadores. Certo dia a Piabinha foi falar com Dona Eva, sua melhor amiga e perguntou:
                         -Dona Eva, o mar era tão poluídoassim?
                        -Não era poluído era limpo, eu corria, via peixes grandes, pequenos de todos os tamanhos, mas agora os estão ficando doentes e morrendo. 
                         -Eu tive uma ideia, falou a Piabinha. -Vamos enganar os pescadores e enganchar o lixo nos anzois.
                         Enquanto isso, lá em cima, os pescadores achavam que pegariam peixes, mas para sua surpresa pescavam garrafa, e tentavam novamente, dessa vez um pneu, novamente, uma bola, outra vez, um boné, uma calça. 
                         A Piabinha chamou a polícia para prender os pescadores e fez uma placa escrito:
                         EM RIO NÃO SE COLOCA LIXO! 
                        
Turma do 3º A



LENDA DAS ÁGUAS



                   Quando o mundo nasceu as nuvens choraram. Nasceu os rios, os oceanos, os mares e os riachos. Dai os humanos nasceram e começaram a tocar lixo nos rios pensando que eles levavam embora.
                   Um dia o rei Dos Mares ficou muito furioso e fez uma reunião com o rei Sol. Decidiram que levariam todo o lixo para a terra e deixariam os rios secos.
                   Um menino se ajoelhou e começou a rezar dizendo que sabia que eles não haviam respeitado a natureza, então o rei se arrependeu e molhou toda a terra de novo.


Turma do 3º ano B


LENDA DAS ÁGUAS

                          Era uma vez um rio muito poluído. Estava passando um barco e uma baleia levantou o barco, mas ela logo foi embora. Depois os pescadores jogaram muito lixo no rio e ele ficou mais poluído ainda.
                          O Rei dos Rios ficou muito bravo e falou com o Rei Sol para evaporar toda a água do planeta. Eles não tinham água pera beber e tomar banho.
                          Enquanto os humanos discutiam, um menino foi rezar para Deus e pouco a pouco foi caindo chuva e o menino foi ficando muito feliz e os adultos também.


Turma do 3º ano A

segunda-feira, 21 de junho de 2010

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Carta aos jogadores da seleção

Correios na Escola e a Escola nos Correios

Depois da visita do gerente dos Correios de Arroio do Sal, com o projeto dos "CORREIOS NA ESCOLA: ALÉM DE UMA NECESSIDADE, UMA REALIDADE NA BUSCA DA CULTURA POSTAL" que apresenta os serviços prestados pelos Correios, com enfase no "CPF E SUA IMPORTÂNCIA NO EXERCÍCIO DA CIDADANIA", o surgimento dos selos e de como endereçar uma carta, resolvemos escrever uma para nossos jogadores da Seleção Brasileira na Copa do Mundo.
Endereçamos ela para a CBF A/C do jogador escolhido por cada aluno e depois fomos até lá para postar as cartas e conhecer um pouquinho do funcionamento da Agência de Correios de nosso município e seus processos.
Aproveitamos para exercitar a produção de texto, pois criamos um esquema de como nos dirigir aos jogadores, nos preocupando com a estrutura no texto, sinal de pontuação. Construímos nossos próprios envelopes então tivemos que aprender a preenche-lo com todos os dados necessários para que realmente, a carta, chegue até nossos queridos jogadores.
Foi muito legal, fomos bem recepcionados e conduzidos....
Muito obrigada aos meninos que trabalham por lá!  







domingo, 9 de maio de 2010

Receitas da mamãe!!!!!!!




Todos os livros foram decorados pelos próprios alunos.
Foi muito bom ter feito este trabalho, deu muito certo, mas dá bastante trabalho.
Eles se envolveram e gostaram do resultado.

Parabéns terceiros anos da profª Jú.....os livros ficaram muito bonitos, espero que suas mães tenham gostado também!